Meu Facebook

Meu Facebook
A única guerra que se perde é aquela que se abandona

.

.

.

.

.

Photobucket  photo anigifbanda_zps5b777744.gif

.

.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

OS CINCO MANDAMENTOS PRESIDENCIAIS

.
Em sua coluna no Estadão, José Roberto de Toledo lista os cinco mandamentos presidenciais que servem para quem assumir o cargo e quiser terminar seu mandato,  já que "presidentes vêm e vão", mas o sistema político brasileiro não muda, nunca. 
Seus mandamentos ajudam a entender as razões que levaram o país para a atual crise política
Ele diz que é preciso tomar cuidado com o vice-presidente a ser escolhido: "quem dá sinais de nunca se satisfazer com o que tem deve ser riscado da lista." 
Depois, o presidente não pode se aliar a um partido maior que o seu, e que desrespeitar esse mandamento é "encomedar crise". 
Caso a tua popularidade caia, os correligionários do vice começarão a assoprar­-lhe tentações no ouvido até emprenhá­-lo de conspiração", afirma.
Por último, Toledo faz uma ressalva: os mandamentos não valem para os peemedebistas, já que, na Presidência, eles escreveram a própria cartilha, e em latim.
Do Estadão
por José Roberto de Toledo
Presidentes vêm e vão, uns antes que outros. Só uma coisa não muda, nunca: o sistema político brasileiro. Com seus muitos vícios e poucas virtudes, não perdoa os infiéis à sua cartilha. A seguir, mandamentos para um presidente terminar o mandato. 
1. ­ Não amarás um vice com apetite
Ao examinar candidato a ser segundo, descobre o quanto ele quer ser primeiro. Quem dá sinais de nunca se satisfazer com o que tem deve ser riscado da lista de possíveis vice. Por exemplo: se o nome em prospecção se casou e descasou várias vezes, atenção. Se troca sempre o cônjuge antigo por um mais jovem, alerta. Se a última esposa do candidato é nova o suficiente para chamar os filhos dele de tio ou tia, foge. Não serve nem como decoração.
Vasculha tu a aparência e avalia o pavoneamento do candidato a vice. Prefere os calvos, mas só quem não fez implante. Se usar topete, melhor evitar. Se pintar o bigode, esquece. Como regra, quanto mais velho, melhor. Em público, exalta-­lhe a experiência. Em privado, conta com sua falta de memória. Não exageres, porém. Tem que ser saudável. Não queres acabar com um presidente da Câmara tipo Eduardo Cunha como segundo na tua linha sucessória.
2. ­ Não te deitarás com partido maior que o teu
Na hora de fazer a aliança eleitoral, o partido de teu candidato a vice não pode ter mais deputados ou senadores do que tua própria legenda. Desrespeitar esse mandamento é encomendar crise. Caso a tua popularidade caia, os correligionários do vice começarão a assoprar­-lhe tentações no ouvido até emprenhá­-lo de conspiração. Ao menor sinal de fraqueza tua, dirão que podem obter apoio suficiente no Congresso para derrubar­-te.
Dá preferência a um partido médio, desses bem fisiológicos. Não é difícil de achar. Tem que ter mais que 30 deputados, para contar um bom tempo de propaganda na TV, mas uns 15 a menos que o teu, para não correres o risco de ele inchar e ultrapassar-­te a bancada. Não deves concentrar o fisiologismo em um aliado só. Dosa-­o. Dividir para governar, já dizia o mestre florentino.
3. ­ Não cobiçarás menos do que 172 deputados
Em troca de tua generosidade no Diário Oficial, amarra uma aliança bem amarrada na Câmara. Forma um bloco para garantir a maior bancada e eleger o presidente da Casa. Se for necessário, alia­-te a mais de um partido. Mas lembra-­te de não fazê-­lo com partidos maiores que o teu, ou te tomarão o comando do bloco. Precisas de pelo menos 172 deputados fiéis -­ por bem ou não -­ para não deixar outros 342 caírem em tentação. Livra-­te do mal.
4. ­ Honrarás teu ministro da Fazenda
 
Ministros são fusíveis. Existem para serem queimados e trocados. Podes e deves mandar neles, mas, publicamente, tens que aparentar escutá­-los e respeitá­-los. Assim, em caso de zica, podes dizer que quebraram tua confiança e nomear outro. Na Fazenda, sê esperto e põe alguém mais inteligente que tu. Essa não é a parte difícil. Duro é encontrar um mais inteligente mas menos esperto. Tu não queres ser ele, nem que ele seja tu. Todo ministro da Fazenda é um candidato potencial a tua sucessão.
 
5. ­ Não roubarás
 
Se roubar, compartilha. Se não compartilhar, esconde. Se esconder numa offshore, não uses a Mossack Fonseca. Se usar e for pego, nega. Se ninguém acreditar, grita "Pega ladrão!". Quando, por reflexo, todos correrem, misture-­te e disfarça.
 
PS: Os mandamentos acima não se aplicam a peemedebistas na Presidência. Eles escreveram a cartilha. Em latim.

Tailor Mouse

Tailor Mouse