Meu Facebook

Meu Facebook
A única guerra que se perde é aquela que se abandona

.

.

.

.

.

.

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Shameless (US)

.


Essa é a série mais politicamente incorreta do planeta, assisto a versão americana, não tive coragem de assistir a inglesa...mas o que posso dizer é:  a versão que assisto é simplesmente brilhante...mas se voce não suporta humor negro com situações escabrosas, escatológicas, quase obcenas...não assista.
Eu trato essa série como uma espécie de  "humor negro tragicômico", não como drama...já está na sexta temporada!!!!
.
Essa seria a melhor descrição:

Shameless US é um remake da série de mesmo nome de um sucesso da TV britânica que durou 11 temporadas e conta a história dos Gallaghers, uma família que não segue nenhum dos padrões convencionais “da sociedade”, mas que mesmo assim é muito comum.
Frank Gallagher é o alcoólatra pai de seis filhos que foram abandonados pela mãe. Como o progenitor está muito ocupado com a bebedeira, cada um dos filhos ajuda no que pode, uma forma de controlar a casa que, de acordo com um artigo do New York Times, vive em “modo de sobrevivência”.
Nesse mesmo artigo é afirmado que quando o showrunner da série começou a sugerir que existe uma audiência para esse tipo de comédia trágica sobre essa família que prefere ser pobre junta do que ficar com a vida boa e separada em diferentes casas por causa de adoção, ele enfrentou problemas, porque sugeriram que a casa deles fosse um trailer e de acordo com ele, é uma coisa comum nos Estados Unidos fazer graça das pessoas que vivem nesses “mundos”, como acontece em outras séries que falam sobre a classe baixa americana.
Ele afirmou então que a realidade é que essas pessoas não são “os outros”, são pessoas que vivem bem próximas da gente.
É interessante porque ainda que algumas situações sejam bem irrealistas para mim, eu não duvido que ela é um retrato super realista da situação de vários americanos (e brasileiros) – os primeiros, principalmente depois da crise de 2008.
É um pouco irônico, no entanto, que a série seja exibida por uma canal a cabo (Showtime) e nem todas as pessoas tenham acesso a ela.
Ainda assim, isso é essencial para que eles não percam o sentimento de realidade, já que tem muito conteúdo “para maiores”, como palavrões, cenas de nudez, consumo de drogas e álcool em excesso, cenas de sexo, etc. Ou seja, é uma série bem pesada e não é para o gosto de todo mundo, mas ao mesmo tempo, essas partes não eclipsam o mais legal que é a relação familiar deles e no final das contas é tudo tratado de forma séria, mas também com humor, típicas situações “vou rir pra não chorar”, uma frase que poderia facilmente ser a tagline da série.

Pois é, vou continuar assistindo até que seus produtores resolvam fazer "a eutanásia"...


:oD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tailor Mouse

Tailor Mouse